Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Efeito Crónico

Crio escritos chistosos com relativa regularidade, que conjeturo possuírem nível para antologiar aqui. P.S: Este nível de literacia não é constante.

Nossa Senhora vs ETs

13.09.20 | Luís Marques

   Ultimamente, por uma razão desconhecida, tenho acompanhado casos de alegados avistamentos de extraterrestres. Acho que todos já tivemos esta fase, em que a dúvida e a indagação humana relativa à existência, ou não, de seres pertencentes a outros lugares do Universo nos desperta interesse. Mas neste caso, por mera coincidência, estive em contacto com vários casos sem os procurar. O que me levou, creio eu, a pensar neste assunto de uma forma mais desprovida daquele fascínio de quem procura por mais casos e tenta decifrar se é mesmo uma filmagem de uma câmara de segurança ou só um trabalho muito bom (ou não, na maioria das vezes) de edição de vídeo.

   Devo frisar que eu não revelo relutância sobre este tema, porque, julgando o tamanho do Universo, acho um pouco presunçoso da raça humana achar-se única quando nem metade (nem lá perto) do espaço conhece. No mínimo, acho que todos devíamos dar o benefício da dúvida. Com isto, descobri um campo científico interdisciplinar, com raízes nas ciências políticas, que se focaliza na investigação e educação pública no que diz respeito aos atores, instituições e processos associados à vida extraterrestre, assim como às implicações que acarreta o surgimento de um novo paradigma, denominado Exopolítica. Fiquei contente ao saber que existe uma abordagem científica neste tema, e não apenas o típico indivíduo bucólico a expor o seu depoimento e a ser investigado por um repórter qualquer, em que a reportagem mais parece um sketch de humor. Se o tema já é controverso, esta abordagem só estimula a descredibilização. Por mim, está tudo bem. Diverte-me imenso, mas no fundo gostava de falecer com mais alguma informação nesta tese.

   Relativamente ao que pensei, a cada geração que passa a incidência da religião nos indivíduos parece-me que tem vindo a decrescer. Não sei de estudos da sociedade, mas pelas pessoas que me rodeiam leva-me a concluir isto – Sim, só esta justificação parece a priori uma falácia de generalização precipitada. Então surgiu-me a ideia de que caso a Nossa Senhora se lembre de aparecer outra vez vai ser complicado. É que agora qualquer OVNI - no sentido literal – é um extraterreste. Parecendo que não, ela disse à Jacinta que iria voltar e a descrição dos pastorinhos (“era uma Senhora vestida de branco e mais brilhante que o Sol, espargindo luz mais clara e intensa”) é praticamente igual às declarações dos tais indivíduos bucólicos. Portanto, o problema não se prende com o facto de acreditarem ou não na aparição, mas na possível qualificação errada. Um concelho para a Nossa Senhora – ao ponto que cheguei – das duas uma: ou deixa bem frisado que é do reportório religioso ou então escolha um crente para aparecer à frente, que esse vai logo perceber antes de desmaiar. É que, por exemplo, imaginemos que se lembra, na próxima visita, em pegar na pessoa com quem estabelece o contacto. Os ETs já fizeram isso, em 1961, ao casal Barney e Betty Hill. Agora há que ser original, para que se possa distinguir. Não sou de criar intrigas, mas parece que começa aqui a surgir uma competição ao nível sobrenatural.

   Pelas várias descrições das interações com alienígenas, há que dizer que a Nossa Senhora é muito mais simpática e esclarecedora. Eles chegam aqui, comunicam via telepática (alegadamente) e retiram fluidos corporais, sem explicar nada. Ok que vêm de outro sítio, mas se estão cá, têm de se reger pela constituição do país. Pouco percebo de direito, mas acho que retirar fluidos corporais sem consentimento é violação, digo eu. Por outro lado, ao menos chegam, fazem o que têm a fazer e vão à vida deles. Não é como a Nossa Senhora que ainda exige para todos os dias 13 ir a Cova da Iria e ainda rezar o terço diariamente.

   Para concluir, peço a ambas as entidades para não me escolherem. Claro que me sentiria lisonjeado, mas só o trabalho que tenho para que acreditem em mim… Escolham antes uma pessoa com um estatuto credível! E para a Nossa Senhora, aviso já que depois não assumo a missão que me der. Se já cobro a gasolina aos meus amigos, fará assumir a responsabilidade desta missão sem nada em troca.